Posts Tagged ‘trabalho’

h1

Redes sociais podem aumentar produtividade dos profissionais

03/04/2009
PC Advisor/Reino Unido
Publicada em 03 de abril de 2009 às 07h20

Um estudo, realizado pela Universidade de Melbourne, indica que as pessoas que navegam em sites como Facebook, Twitter e Orkut são mais produtivas no trabalho

Ao contrário do que muitos imaginam, o uso de redes sociais e serviços online – como Twitter, Facebook e Orkut – no trabalho pode tornar os funcionários mais produtivos. Pelo menos, segundo um estudo divulgado pela Universidade de Melbourne (Austrália).

De acordo com o levantamento, 70% dos funcionários usam a internet no escritório para fins pessoais e esse grupo mostrou-se 9% mais produtivo e criativo em comparação àqueles que não utilizam a web para fins de diversão.

“A navegação corporativa para fins pessoais pode melhorar a concentração dos funcionários”, destacou Brent Coker, do departamento de marketing da universidade. “As pessoas precisam relaxar um pouco para terem de volta sua concentração”.

A navegação para fins pessoais inclui atividades como procurar informações online, ler sites de notícias, jogar games, se atualizar sobre seus amigos ou ver vídeo no YouTube.

“Intervalos curtos para navegar na internet permitem que a mente descanse, levando a uma concentração maior durante as horas de trabalho, o que aumenta a produtividade”, detalhou Coker, ressaltando que, assim, não faz sentido as empresas gastarem milhões em sistemas para bloquear o acesso a vídeos, redes sociais ou sites de e-commerce por meio da rede corporativa.

Cooker ressaltou, no entanto, que as particularidades do estudo dizem respeito a funcionários que navegam, no máximo, um quinto de seus horários. “Aqueles que têm tendências ao vício de internet terão níveis de produtividade menores”, contrapôs.


h1

Como motivar um programador?

13/11/2008

Achei esse post muitíssimo interessante e vale para todo o tipo de empresa.

Parabéns ao Nivaldo pelas palavras.

Um dos problemas que existem em empresas de desenvolvimento, ou com setores de desenvolvimento, diz repeito à motivação de seus funcionários, que querendo ou não, são a “matéria-prima” da empresa.

É claro que dinheiro e comprometimento financeiro (pagar os benefícios em dia e corretamente) é bom e todo mundo gosta, mas até que ponto vale a pena depender apenas disto para manter seu desenvolvedor? A começar que isto nem sempre acontece. Na maioria das vezes os desenvolvedores ganham bem menos do que merecem e muito menos pelo que fazem (afinal, é muito comum que eles agreguem outras funções).

Boa parte dos programadores trabalham com desenvolvimento porque gostam, porque são desafiados constantemente. Eles também gostam de estar sempre atualizados com as novidades do mundo tecnológico.

Você tem conhecimento disso? Você concede alguma fração do tempo de trabalho de seu funcionário  para ele se atualizar?

Será que é tão complicado assim para as empresas verem que um desenvolvedor motivado, não irá apenas produzir mais rápido, como também, irá desenvolver com muito mais qualidade? Ou que aquele novo framework, aquele novo navegador ou IDE poderiam ser úteis para a empresa?

* Salário compatível

Esse é sempre um grande motivo para a desmotivação. Principalmente quando um funcionário já está a um certo tempo na empresa e ele não tem seu salário reajustado ou não vê chance de que isso venha a acontecer em um futuro próximo. Em poucos casos (já aconteceu comigo) o programador pode abrir mão de procurar outro emprego, caso exista algum fator em seu trabalho atual que fique acima do seu salário, no meu caso foi o aprendizado. Como existia algumas pessoas no meu
setor que eram mais experientes, o conhecimento que eu conseguia extrair delas compensava o salário estagnado. Então, a não ser que você tenha um “super” ambiente de trabalho, reveja o salário de seus funcionários.

* Ambiente de trabalho

O segundo fator que pode influenciar (e muito) a produtividade de um programador é o ambiente de trabalho. Forneça um ambiente silencioso, como uma sala com poucos telefones. Programadores não precisam (na maioria das vezes) fazer contato com clientes via telefone, então não obrigue-os a isso.
Outro ponto importante é: ninguém gosta de uma sombra vigiando o que o programador faz. Tenha em mente que o programador está fazendo o seu trabalho e que ficar atrás dele para fazer pressão não vai ajudar em nada.

* Manter-se atualizado

Tudo na vida de um programador é muito dinâmico, principalmente suas ferramentas de trabalho e as tecnologias que as envolvem. Como conseguir acompanhar todas essas mudanças se você não possui 30 minutos sequer para se manter antenado?
Hoje em dia é muito fácil conseguir isso. Por exemplo, indique um  agregador de notícias e peça ao funcionário  para que adicione os sites e blogs que ele mais visita. Dessa forma o desenvolvedor consegue se manter atualizado sem gastar muito tempo, afinal ele só vai ler na íntegra as notícias que lhe forem úteis.
Outro ítem que casa muito bem nesse tópico diz repeito aos blogs. Por padrão as grandes empresas bloqueiam blogs sem dó nem piedade, por ainda pensarem que blog é sinônimo de diário de adolescente. O detalhe é que hoje em dia muio material relevante é publicado em blog. Tomando este site como exemplo, mesmo tendo um domínio próprio eu uso um sistema de blog para postar e também o termo “blog” está na  minha url, que pode acabar sendo facilmente bloqueado por qualquer proxy. Então, permita que o seu funcionário se atualize!

* Pesquisa e testes

De que adianta um programador que pode ler notícias e se manter atualizado se ele não possui tempo para testar e aprender mais sobre essas novas descobertas?
Lembre-se, o programador também possui vida social, ele não pode simplesmente abrir mão desses momentos.
Foram em horas de dedicação própria dentro do ambiente de trabalho que surgiram algumas das principais ferramentas do Google. É um momento em  que o funcionário está desligado de seus problemas e está com sua criatividade a todo vapor. Isso, mais um vez, é bom para todos. O desenvolvedor aprende algo novo (que ele pode levar para frente ou não), relaxa (mesmo que momentaneamente) e pode ter certeza que ele irá abrir ainda mais sua mente, visualizar um ou mais ponto de vista para algum problema.

Por que isso é bom para empresa? Porque você terá um funcionário ainda mais motivado, atualizado e que poderá aplicar toda esta empolgação descoberta para a solução de problemas. Permita que o seu funcionário tenha a chance de aprender durante o seu período de trabalho.

Essas são apenas quatro dicas simples, que podem ajudar a melhorar a auto-estima dos desenvolvedores, mesmo dos que trabalham em uma empresa pequena.
Algumas horas de atenção semanal ao seu programador, dando a oportunidade para que ele evolua vale bem mais do que as horas em que ele passa procurando alguma válvula de escape.

Quem sabe esse post ajuda a mudar a vida de alguém.

Fonte: http://atriatecnologia.com.br/nivaldo/blog/?p=41