Archive for the ‘Internet’ Category

h1

Projeto Escola de Rede

14/12/2009

Olá Pessoal,

Vai aí vídeo de um projeto que eu participo juntamente com outro professor amigo meu, que é o Projeto Escola de Rede.

O Projeto Escola de Rede é uma ferramenta tecnológica criada para auxiliar no processo de ensino-aprendizagem dos alunos da rede pública do Estado do Paraná.

Conheça o Projeto acesse: www.escoladerede.com.br

Abraço a todos!!!

Anúncios
h1

OpenGoo – Web Office de código aberto para instalar no seu servidor

15/07/2009

Enviado por Eduardo Silva (eduardoΘeduardosilva·eti·br):

“Os desenvolvedores do OpenGoo consideram este software, um “Web Office“, mas existem várias outras classificações que também se encaixariam, como por exemplo: Plataforma de colaboração Online, Ferramenta para gestão de projetos, Groupware, ou outras similares.Para melhor compreensão, podemos comparar o OpenGoo como um equivalente ao Google Apps. Um Office via Web com ferramentas para edição e gestão de documentos, gestão de projetos através de tasks e milestones, emails, calendário compartilhado, entre outros recursos.

Para conhecer um pouco mais sobre o OpenGoo, visite o demo clicando aqui.

Uma grande vantagem do OpenGoo é que ele pode ser instalado sem nenhuma complicação em praticamente qualquer servidor com php+mysql.” [referência: linux.eduardosilva.eti.br]

Fonte:  http://br-linux.org/2009/computacao-em-nuvem-opengoo-web-office/

h1

O que será do futuro da banda larga e da internet no Brasil?

29/05/2009

Olá a todos, fazia um tempão que eu não escrevia mas aqui no blog, mas agora cousa despertou minha vontade de comentar, é a Internet e a Banda Larga no Brasil.

Na reportagem exibida pelo Jornal da Globo, na coluna CONECTE, do dia 28/05/2009, veja aqui, falou sobre a banda larga no Brasil, uma coisa me chamou a atenção, um entrevistado disse que não via uma usabilidade melhor da banda larga, que não fosse para mídias do tipo vídeos on-line ou para download dos mesmos. Mas isso me deixou intrigado, será que é o entretenimento que vai tomar conta do internet no futuro? Ou será que não temos nada melhor para fazer com a internet a não se ficar assistindo vídeos, seja filmes ou seja TV on-line. Será que a Cloud Computing (Computação nas nuvens) não terá sua ascensão com a popularização, ou até mesmo com a melhora da Internet no Brasil???

Como diria Jackson Five: “Fica aí esse dilema pra vocês flexionarem!”

Abraço e até a próxima!

Jackson Five

h1

Glossário do Twitter

09/05/2009

Glossário do Twitter

22 mar | por Baunilha em Internet às 14:07

O usuário @ahocley criou o twictionary (em inglês) um wiki com uma extensa lista dessas novas palavras próprias do Twitter e ele ainda a indica quem a utilizou pela primeira vez (créditos!). Abaixo algumas definições em português que o pessoal do Twitter Brasil preparou para nós.

# ou hashtags – no Twitter o emprego do símbolo # (também chamado de hashtag) antes de uma palavra serve para identificar o assunto do tweet.
@ – símbolo usado antes do nome de algum usuário para direcionar a mensagem a ele ou para se referir a ele.
baleiar – verbo criado a partir das sucessivas vezes em que o Twitter saía do ar e no lugar aparecia a imagem de uma baleia. Sinônimo aproximado de “sair do ar”.
Fail Whale – baleia simpática que costuma aparecer quando o Twitter sai fora do ar. Saiba mais aqui.
follow – termo em inglês que significa “seguir” alguém.
follower – termo em ingles para “seguidor”, ou seja, todos os contatos que acompanham as atualizações de alguém.
following – termo em inglês para “seguindo”, ou seja, todos os contatos que são acompanhados por alguém.
Twerd – um twitteiro nerd (por exemplo, alguém que contribui para um dicionário de termos do Twitter)
Twitiqueta – Twitter + Etiqueta: as regras relativamente não escritas de conduta no Twitter
atwração paixão (intelecual ou física) por um amigo twitteiro.
egotwistico – tendência a falar excessivamente sobre si mesmo no Twitter
RT – reweet – twittar conteúdo postado por outros usuários. (Outras variações: ret., retwitt)
twammer – Twitter + spammer (alguém que segue muitas pessoas e posta atualizacoes com links para sites de spam)
twídia – mídia com presença no Twitter
tweet ou twittada – nome dado a cada mensagem postada no Twitter
twittar – verbo, ação ou efeito de postar alguma coisa no Twitter
twitteiro – usuário do Twitter
tweme – meme no Twitter
twequilíbrio – quando o número de followers e following é praticamente o mesmo
Twerminologia – o estudo da terminologia do Twitter
Twestival vide post
twewbie
– um novato no twitter (newbie)
twittervista – entrevista feita através do twitter
twirtar – a arte de flertar através do Twitter
twitteratura – literatura no Twitter
twistórico – o conjunto de atualizações de um determinado usuário
twinfluenciador – um usuário do twitter que influencia outras pessoas
twitterholic – viciado em Twitter
twittersação – conversação realizada através do Twitter
Twitterverse, twittersphere ou twittosfera – o conjunto de todos os twitteiros, como na blogosfera
twincidência – quando uma coincidência acontece no Twitter, como no caso de dois ou mais usuários postarem sobre a mesma coisa simultaneamente.
track – ferramenta do Twitter que permite (permitia?) acompanhar determinadas tags do Twitter por ferramentas como Google Talk ou celular. Para parar de acompanhar alguma tag, é preciso usar o código untrack.

Fonte:  http://www.sedentario.org/internet/glossario-do-twitter-14021

h1

OS INIMIGOS DO WI-FI

15/04/2009

por: EVELSON DE FREITAS

Paredes – A densidade das paredes de alvenaria, que usam tijolos e cimento, diminui drasticamente a potência das ondas de rádio. Quando a espessura é muito grande ou existe uma série de obstáculos a vencer, o sinal simplesmente fica sem força em um determinado ponto, impossibilitando a conexão.

Água – Um dos piores inimigos do sinal eletromagnético de rádio são as grandes concentrações de água, como aquários e caixas d’água. A água tem a habilidade de atrair o sinal magnético, atuando como uma barreira tão densa quanto uma parede maciça de pedra. Quedas d’água em jardins também interferem no sinal.

Encanamento – Os canos, tanto de metal quanto de PVC, são inimigos invisíveis do sinal de rádio. Embutidos nas paredes, algumas vezes bem próximos da superfície, eles também agem como se fossem um obstáculo de água. Como essa água normalmente está em movimento, acaba atraindo mais sinal .

Resistências – Aparelhos que geram calor usando a eletricidade, como chuveiros e fornos elétricos, torradeiras, ferros de passar e chapinhas para cabelo, criam uma aura de interferência eletromagnética, que é subproduto da geração de calor. Essa interferência interrompe e chega até a bagunçar o sinal.

Elevador – Além de um fosso feito com paredes bastante grossas, o elevador conta com uma série de circuitos elétricos. E os freios eletromagnéticos – que o ajudam a parar corretamente no andar – somados ao motor que abre a porta são um pesadelo se o elevador estiver posicionado no meio do caminho percorrido pelo sinal Wi-Fi.

Motores elétricos – Além de gerarem naturalmente uma interferência por conta do movimento que produzem, motores elétricos, mesmo os pequenos, de eletrodomésticos, funcionam graças a uma bobina de fios que gera uma quantidade impressionante de estática eletromagnética e atrapalha o sinal.

Aparelhos eletrônicos – Telefones sem-fio, walkie talkies, aparelhos de som, reatores de lâmpadas fluorescentes e até televisores de plasma ou LCD geram diferentes níveis de interferência, que quando somados em um mesmo ambiente, podem impedir a propagação adequada do Wi-Fi.

Antenas – Em um fenômeno que se assemelha ao experimentado quando se passa por uma área saturada por antenas de transmissão, como na Avenida Paulista, que atrapalha a recepção de estações de rádio, o sinal de Wi-Fi é bastante prejudicado nas proximidades de antenas de grande porte, como as de estações de TV e celular.

Outros roteadores – Muita gente usa o roteador com as configurações de fábrica, o que causa a saturação de um único canal de transmissão. Normalmente, os aparelhos usam o canal 6. Uma mudança simples de configuração pode melhorar muito a qualidade do sinal em áreas com muitos roteadores.

Fonte: http://www.link.estadao.com.br/index.cfm?id_conteudo=15588

h1

Redes sociais podem aumentar produtividade dos profissionais

03/04/2009
PC Advisor/Reino Unido
Publicada em 03 de abril de 2009 às 07h20

Um estudo, realizado pela Universidade de Melbourne, indica que as pessoas que navegam em sites como Facebook, Twitter e Orkut são mais produtivas no trabalho

Ao contrário do que muitos imaginam, o uso de redes sociais e serviços online – como Twitter, Facebook e Orkut – no trabalho pode tornar os funcionários mais produtivos. Pelo menos, segundo um estudo divulgado pela Universidade de Melbourne (Austrália).

De acordo com o levantamento, 70% dos funcionários usam a internet no escritório para fins pessoais e esse grupo mostrou-se 9% mais produtivo e criativo em comparação àqueles que não utilizam a web para fins de diversão.

“A navegação corporativa para fins pessoais pode melhorar a concentração dos funcionários”, destacou Brent Coker, do departamento de marketing da universidade. “As pessoas precisam relaxar um pouco para terem de volta sua concentração”.

A navegação para fins pessoais inclui atividades como procurar informações online, ler sites de notícias, jogar games, se atualizar sobre seus amigos ou ver vídeo no YouTube.

“Intervalos curtos para navegar na internet permitem que a mente descanse, levando a uma concentração maior durante as horas de trabalho, o que aumenta a produtividade”, detalhou Coker, ressaltando que, assim, não faz sentido as empresas gastarem milhões em sistemas para bloquear o acesso a vídeos, redes sociais ou sites de e-commerce por meio da rede corporativa.

Cooker ressaltou, no entanto, que as particularidades do estudo dizem respeito a funcionários que navegam, no máximo, um quinto de seus horários. “Aqueles que têm tendências ao vício de internet terão níveis de produtividade menores”, contrapôs.


h1

Entenda a ameaça do vírus Conficker

01/04/2009

Por: MARINA LANG em colaboração para a Folha Online

O vírus Conficker, também conhecido por nomes como Downadup e Tall-Ad, está programado para um intenso ataque mundial nesta quarta-feira (1º de abril). As informações foram obtidas por especialistas a partir do “underground” da internet (fóruns nem sempre acessíveis ao internauta comum, por exemplo) e por meio de descoberta de códigos específicos.

Não há perda de arquivos, documentos ou dados, apenas roubo de senhas e contrassenhas (outra senha gerada como resposta à senha). O vírus tem a capacidade de escravizar as máquinas e torná-las “zumbis virtuais”, sem que os usuários desses computadores saibam a respeito da invasão. Ou seja, computadores afetados passam a ser controlados por uma rede que usa essas máquinas para sobrecarregar sites (com milhares de acessos simultâneos) a fim de derrubar páginas e interromper servidores.

Microsoft anunciou recompensa de US$ 250 mil por denúncia sobre Conficker

O que muda amanhã, na opinião do analista Eduardo Godinho, da empresa de segurança na internet TrendMicro, é que haverá um intenso acesso a 50 mil sites, feito por um número estimado de 50 milhões de computadores.

Os sites mais visados são de gigantes da informática –Microsoft, IBM, Dell, por exemplo– e os governamentais (como o da Casa Branca e o Pentágono, ambos dos EUA). A lista completa, no entanto, não é exata. Apesar disso, Godinho minimiza o impacto que o Conficker terá amanhã.

“Esse vírus já foi o motivo de muita dor de cabeça, reportagens de jornais e, devido a isso, não deverá ter tanto impacto quanto o calculado”, afirma. “As pessoas e empresas já estão se preparando.”

“Tradicionalmente, o que ele faz é tentar se infiltrar em todas as máquinas da rede que não possuam o pacote da Microsoft para causar lentidão na conexão das empresas. Nesta quarta, a forma de trabalho do vírus muda, e passa à superlotação de acessos em sites”, explica.

“O fundamental para o usuário comum é ter atualizações do Windows Update em dia, especificamente o pacote de atualização MS08-067. Se o usuário não o tiver, as chances de infecção são grandes”, orienta.

Godinho recomenda também duas ferramentas de limpeza em relação ao Conficker: uma que possibilita a identificação e impedimento dos ataques, caso eles estejam partindo do usuário sem que saiba, e a ferramenta de limpeza da máquina, caso haja infecção pelo Conficker. Ambas são gratuitas.

Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/folha/informatica/ult124u543450.shtml