h1

Entenda a ameaça do vírus Conficker

01/04/2009

Por: MARINA LANG em colaboração para a Folha Online

O vírus Conficker, também conhecido por nomes como Downadup e Tall-Ad, está programado para um intenso ataque mundial nesta quarta-feira (1º de abril). As informações foram obtidas por especialistas a partir do “underground” da internet (fóruns nem sempre acessíveis ao internauta comum, por exemplo) e por meio de descoberta de códigos específicos.

Não há perda de arquivos, documentos ou dados, apenas roubo de senhas e contrassenhas (outra senha gerada como resposta à senha). O vírus tem a capacidade de escravizar as máquinas e torná-las “zumbis virtuais”, sem que os usuários desses computadores saibam a respeito da invasão. Ou seja, computadores afetados passam a ser controlados por uma rede que usa essas máquinas para sobrecarregar sites (com milhares de acessos simultâneos) a fim de derrubar páginas e interromper servidores.

Microsoft anunciou recompensa de US$ 250 mil por denúncia sobre Conficker

O que muda amanhã, na opinião do analista Eduardo Godinho, da empresa de segurança na internet TrendMicro, é que haverá um intenso acesso a 50 mil sites, feito por um número estimado de 50 milhões de computadores.

Os sites mais visados são de gigantes da informática –Microsoft, IBM, Dell, por exemplo– e os governamentais (como o da Casa Branca e o Pentágono, ambos dos EUA). A lista completa, no entanto, não é exata. Apesar disso, Godinho minimiza o impacto que o Conficker terá amanhã.

“Esse vírus já foi o motivo de muita dor de cabeça, reportagens de jornais e, devido a isso, não deverá ter tanto impacto quanto o calculado”, afirma. “As pessoas e empresas já estão se preparando.”

“Tradicionalmente, o que ele faz é tentar se infiltrar em todas as máquinas da rede que não possuam o pacote da Microsoft para causar lentidão na conexão das empresas. Nesta quarta, a forma de trabalho do vírus muda, e passa à superlotação de acessos em sites”, explica.

“O fundamental para o usuário comum é ter atualizações do Windows Update em dia, especificamente o pacote de atualização MS08-067. Se o usuário não o tiver, as chances de infecção são grandes”, orienta.

Godinho recomenda também duas ferramentas de limpeza em relação ao Conficker: uma que possibilita a identificação e impedimento dos ataques, caso eles estejam partindo do usuário sem que saiba, e a ferramenta de limpeza da máquina, caso haja infecção pelo Conficker. Ambas são gratuitas.

Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/folha/informatica/ult124u543450.shtml

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: